13 de janeiro de 2011

PDT e PR são os novos aliados do governo Jatene

O governador Simão Jatene deve concluir ainda nesta semana as negociações com mais dois partidos que passarão a integrar a base de apoio, reduzindo ainda mais o número de oposicionistas. Os novos aliados serão o PR, do vice-prefeito (licenciado) de Belém, Anivaldo Vale, e o PDT. Os dois fizeram parte da coligação Acelera Pará que trabalhou pela reeleição da candidata petista Ana Júlia Carepa, derrotada porJatene. Vale foi o candidato a vice na chapa da ex-governadora.

O PR tem cinco deputados estaduais e o PDT, dois. São sete votos importantes para ajudar a compor uma maioria confortável ao novo governo.

Dessas negociações depende a conclusão da formação da equipe de governo. Duas secretarias - de Trabalho e de Desenvolvimento Social - estão sendo negociadas, além de cargos em órgãos como a Companhia de Habitação (Cohab).

No caso da Secretaria de Urbanismo, ainda sem secretário definido, o governo decidiu nomear interinamente o ex-secretário de Transportes no governo anterior de Jatene, Pedro Abílio, para comandar a pasta por pelo menos três meses. Abílio já havia sido nomeado coordenador de Câmaras de Políticas Setoriais, lotado na Secretaria de Governo.

A Sedurb entrou na quota de secretarias do PMDB e será ocupada pelo deputado federal eleito José Priante ou por um nome indicado por ele. A demora se dá porque Priante ainda não teria decidido se ficará em Brasília ou se voltará para Belém para assumir pessoalmente a vaga.

O titular da Secretaria de Governo, Sérgio Leão, diz que, ainda nesta semana, Jatene deve concluir as negociações com PR e PDT, o que facilitará a conclusão da formação da equipe. A demora em escolher os titulares de algumas pastas, garante ele, não causou problemas na prestação de serviços. “Nenhuma dessas secretarias está fechada. Está havendo atendimento e já liberamos cotas (de recursos)”.

RELATÓRIOS

Em entrevista ontem ao DIÁRIO, o secretário de Governo, Sérgio Leão, disse que os secretários já empossados estão com dificuldades para finalizar os relatórios solicitados pelo governo. A ordem é levantar volume de dívidas, obras e serviços empenhados e não entregues, entre outros. Leão disse que sem esse relatório final não é possível falar ainda em uma dívida consolidada. Até ontem, pelos dados já levantados, esse valor estava em cerca de R$ 650 milhões.

Leão afirma que, apenas em último caso, o governo poderá publicar edital chamando credores, como foi cogitado no início da semana passada. O secretário não quis confirmar o déficit nas contas públicas para o primeiro mês de mandato, estimado em R$ 80 milhões. Ele afirma, contudo, que há preocupação com o fluxo de caixa. “Temos indicativos de que há certa limitação para o equilíbrio do Estado, mas só teremos uma leitura clara no dia 20”.

Segundo ele, os R$ 90 milhões (parte do empréstimo de R$ 366 milhões junto ao BNDES) que foram bloqueados por decisão judicial já haviam sido gastos porque o saldo das contas do Estado era inferior a esse valor.

ANIVALDO VALE

O vice-prefeito de Belém e integrante do PR foi candidato a vice-governador na chapa de Ana Júlia. O PR, assim como o PDT, farão parte da base de apoio ao governo Jatene.

NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

O PR tem cinco deputados estaduais e o PDT, dois. São sete votos importantes para ajudar a compor uma maioria confortável ao novo governo. (Diário do Pará)

Nenhum comentário:

Postar um comentário