20 de junho de 2011

Governador concede coletiva à imprensa de Santarém

O governador falou sobre a importância de Santarém para o estado do Pará e anunciou as obras que serão feitas no município
Após visitar três obras que estão sendo executadas pelo governo do estado em Santarém, o governador Simão Jatene concedeu uma entrevista coletiva à imprensa local. O chefe do executivo falou sobre a importância que a cidade tem para o estado do Pará, anunciou as obras que serão feitas no município e deu sua opinião sobre a divisão do Pará.
“Queria falar da alegria de mais uma vez estar visitando o município de Santarém. Essa cidade foi muito importante para que conseguíssemos chegar ao governo. Nossa visita na cidade é de festejo, mas principalmente de trabalho. Viemos visitar obras realizadas e anunciar novas obras”. Jatene disse que o objetivo é que ao final do mandato, o povo de Santarém possa se orgulhar dos projetos que estão sendo anunciados agora, assim como tem orgulho do Hospital Regional e da orla do município. “Queremos que a população possa fazer uma avaliação das coisas”.
Questionado sobre as 15 máquinas de hemodiálise que serão entregues em Santarém, o governador lembrou a todos que ao assumir o governo, os jornais noticiavam sérios problemas na área de hemodiálise em todo o Pará. “Assumimos então, um compromisso de entregar 100 novas máquinas em todo o estado, o que dobra a capacidade de atendimento, esgota a fila de espera e abre a possibilidade de novos pacientes serem atendidos. É isso que estamos fazendo, cumprindo com o que prometemos ao povo do Pará”. O governador ressaltou que a instalação de novas máquinas de hemodiálise já foi feita em Redenção, Bragança e agora em Santarém.
Divisão
Sobre a divisão do Pará, Simão Jatene foi enfático ao afirmar que a decisão cabe unicamente à população e que ele irá apoiar o que a sociedade decidir. “Fui eleito para governar o estado do Pará e todos os paraenses que nasceram aqui ou são paraenses de coração. Essa é uma decisão tão séria que só tem um ator que pode decidir sobre ela: a sociedade. Os paraenses devem ser ouvidos e se decidirem que sim, o governador deve se curvar a isso e ser um árbitro que ajude que isso seja um processo menos traumático possível. Se a população achar que o estado deve continuar unido, o governador deve compreender e tentar amenizar o sentimento de abandono e distância que muitos ainda sentem”, finalizou.
Bruna Campos - Da Secom de Santarém

Nenhum comentário:

Postar um comentário