4 de novembro de 2011

Cargill nega apoio ao Estado do Tapajós

Olavo Neves, Alexandre Von, Lira Maia e Valmir Climaco, denunciam omissão da empresa

Estando faltando apenas 40 dias para a realização do Plebiscito que vai definir a divisão do Estado do Pará em três com a criação do Tapajós e Carajás, a Campanha na região ganha novo fôlego com a arrecadação que servirá para pagar os custos que está a cargo do publicitário Duda Mendonça.
Em Santarém, o Comitê Pró-Estado do Tapajós já arrecadou R$ 1.200.000,00 (hum milhão e duzentos mil reais) com apoio de diversos empresários que doaram em média de 20 a 30 mil reais. Para intensificar a Campanha em outros municípios, estiveram em Itaituba na terça-feira, dia 1º, os deputados Lira Maia (Federal) e Alexandre Von (Estadual); presidente da Associação Comercial de Santarém, empresário Alberto Oliveira; empresário Olavo Neves, entre outros.
A reunião da Frente Pró-Tapajós aconteceu no gabinete do prefeito Valmir Clímaco, onde ali mesmo foram formadas várias equipes com meta de arrecadar junto às empresas de Itaituba o montante de R$ 300.000,00 (trezentos mil reais), como valor estabelecido em meta a ser arrecadado até o dia 10 deste mês. Inicialmente o prefeito Valmir Clímaco anunciou que na condição de empresário estava doando R$ 80.000,00 (oitenta mil reais) na Campanha.
Olavo Neves, Von, Maia e Valmir Clímaco, denunciam omissão da empresa
Na reunião, os empresários Santarenos fizeram uma explanação mostrando a importância do engajamento de todos os empresários Itaitubenses, já que a campanha precisa ser intensificada em Belém e mais 87 municípios do Pará, para que o SIM possa obter mais de 50% de votos, já que aqui em nossa região essa margem está em mais de 85%.
Empresa Cargill mostra que é contra a criação do Estado do Tapajós
CARGILL NEGA APOIO - Sobre a campanha em Santarém, os empresários e os deputados enfatizaram a união e participação de todas as empresas, com exceção da empresa Cargill Agrícola, que se recusou a apoiar o movimento. Só para recordar, a Cargill quando se instalou em Santarém, recebeu apoio total da Associação Comercial e Empresarial de Santarém, bem como do então prefeito Lira Maia, que na época comprou uma briga ferrenha com os ambientalistas que eram contra a instalação da empresa em solo santareno. Na reunião em Itaituba, Lira Maia colocou alguns números estatísticos que comprovam a viabilidade da criação do Estado do Tapajós, entre elas, o Fundo de Participação do Novo Estado que ficará em torno de R$ 150 milhões.
Lira Maia citou o exemplo de Tocantins, que ao ser criado tinha apenas 2 faculdades e hoje conta com 42; assim como também tinha apenas duzentos quilômetros de estradas asfaltadas, estando atualmente com mais de cinco mil quilômetros; acreditando que o mesmo ocorrerá no novo Estado do Tapajós com a vitória do SIM.
Estiveram na reunião, para articular arrecadação financeira em prol do Plebiscito, os empresários Afábio Borges, Silva (Mini Box Silva), Robson Dantas, e representando a Câmara Municipal, os vereadores Luiz Fernando Sadeck (Peninha) e Marcos da Ideal.
Por: Nazareno Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário