17 de novembro de 2011

Governo Maria II vai responder por “propaganda enganosa”‏

Henderson Pinto entrará com Ação Civil Pública, no MPF, contra Prefeitura

Henderson Pinto
O vereador Henderson Pinto está se documentando para entrar ainda esta semana, com uma Ação Civil Pública, no Ministério Público Federal, contra o governo Maria II. A ação acusa o governo municipal da prática “propaganda enganosa”.
Uma semana atrás, foi divulgada na mídia, uma peça publicitária, que segundo o Vereador, dava destaque para a entrega da primeira etapa das casas do PAC do URUARÁ. Nas falas dos moradores, a publicidade teria sido dirigida para que os beneficiários se mostrassem satisfeitos com aquilo de Henderson classifica como “obra inacabada”.
Henderson disse ter achado estranho que as imagens foram mostradas em cenas fechadas, para que as pessoas que assistissem não percebessem que as casas não estavam acabadas. O Vereador foi pessoalmente ao local, para tirar fotos das fachadas das casas que não foram concluídas e mesmo assim já foram entregues, “sem qualquer sistema de iluminação, água e principalmente esgoto”.
No entendimento do Vereador, a administração pública municipal manipulou as falas, onde as pessoas se mostravam satisfeitas com a obra, quando, segundo o Vereador denunciante, “a  realidade é bem diferente”.
Mais estranho ainda, para Henderson, foi a posição do Secretário de Infra Estrutura, Inácio Corrêa, de ter confirmado que de fato “37 famílias foram encaminhadas para as casas” através de um programa de debates em uma emissora local.
O Secretário anunciou que 84 casas estão sendo erguidas em outro terreno, mas que as famílias que foram alocadas na primeira etapa, não serão remanejadas para as novas unidades. Os moradores só serão contemplados quando for concluída a primeira etapa, mas Inácio não soube precisar quando isso vai ocorrer.
No mesmo programa, a presidente da Federação das Associações e Organizações Comunitárias de Santarém, Antonia Vita, disse que se forem construídas todas as unidades habitacionais, pelo menos 9 famílias ainda ficarão sem teto.
Outra preocupação do vereador Henderson, é de que ele foi procurado por moradores que têm direito ao aluguel social, que “estão encontrando dificuldades para conseguir alugar casas com os valores estabelecidos pelo PAC, de R$ 270 reais”. Os comunitários asseguraram que há um clima de instabilidade com a demora na entrega das casas, e a regulação do mercado imobiliário às proximidades do PAC URUARÁ, aponta para valores de aluguéis  superiores ao que está sendo oferecido.
Na ação, o Vereador vai reiterar a posição do seu partido de que sejam mostrados os valores que já foram liberados e estabelecido um comparativo de tudo o que foi aplicado, e o que ainda resta de investimentos a serem feitos.
Henderson lembrou que recentemente esteve em Santarém, uma comitiva do governo Federal e da Caixa Econômica, que financia a obra. “Mas apenas alguns vereadores da base aliada foram convidados para essa visita e até hoje, a administração municipal não tornou público, a avaliação da inspeção”, finalizou o Vereador.
 Fonte: RG 15/O Impacto

Nenhum comentário:

Postar um comentário