28 de novembro de 2011

Vereadores de Santarém repudiam declarações de Simão Jatene


Nélio Aguiar, Emir Aguiar e Ivete Bastos mostram indignação e revolta com decisão do governador Jatene

Nélio Aguiar, Emir Aguiar e Ivete Bastos
As declarações feitas pelo governador Simão Jatene a um jornal da capital, onde ele afirma que está trabalhando pela não divisão do Pará, fez com que os vereadores de Santarém, em pronunciamentos na tribuna da Câmara, na manhã desta segunda-feira, se mostrassem revoltados e indignados.
O vereador Nélio Aguiar (PMN) disse estar frustrado e decepcionado com o governador do Pará, Simão Jatene, que está fazendo campanha em favor do não, no plebiscito de 11 de dezembro, quando a população do Pará vai dizer se quer ou não a criação dos estados do Tapajós e Carajás. Nélio observa que no início da campanha, o governador Jatene disse que ia ficar neutro, assumiria uma posição de estadista, que deixaria o povo decidir e respeitaria a decisão da população.
“Mas recentemente o governador Jatene vem publicamente se manifestar contra o Estado do Tapajós, e dizer que está fazendo campanha a favor do não. Para mim faltou coerência do Governador, ele não manteve o compromisso em ficar neutro e agora sendo tendencioso para o não”, disse Nélio Aguiar. Ao mesmo tempo isso vem desmascarar a pesquisa do “Datafolha”, que tem o Jornal Folha de São Paulo por trás disso, onde eles que são radicalmente contra a criação de novos estados dentro do Brasil, porque são eles é que perdem com a vinda de mais recursos para a Amazônia e menos para o Estado do São Paulo “e publicam pesquisas com números não confiáveis”.
Nélio Aguiar pergunta à população de Santarém e região: “Se o não estivesse tão bem na pesquisa, por que o governador Simão Jatene iria falhar com o seu compromisso e entrar na campanha do não”? “Se a pesquisa fosse verdadeira, não precisaria ter o governador Simão Jatene como cabo eleitoral do não. Se ele está entrando na campanha é porque é o sim que vem crescendo e vai ganhar e o governador quer evitar a criação do Estado do Tapajós. Mas eu acredito que ele não vai conseguir, o pensamento do povo é pela mudança, o Pará como está não dá para continuar”, informou Nélio Aguiar.
Emir pede que Vice saia do anonimato – O vereador Emir Aguiar, O líder do PR, disse estar preocupado com a declaração do governador do Pará, Simão Jatene, de que vai trabalhar em favor do não no plebiscito de 11 de dezembro. Emir pediu ao vice-governador Helenilson Pontes que se exponha em favor do voto sim no plebiscito. “Se o Governador pode, por que o Helenilson não pode”?, desafia o Vereador do PR. “A Posição do Governador faz ir por água abaixo aquela desculpa de que é por conta do juramento feito, no momento da posse”, descreve Emir Aguiar. “Continuamos trabalhando a proposta do Sim Tapajós 77, que é um projeto secular, acho que se não for dessa vez, complica muito a nossa situação”, definiu o líder do PR na Câmara Municipal de Santarém.
Região está abandonada pelo Estado – A vereadora Ivete Bastos (PT), criticou a falta de ação do governo do Estado na região. Ela começou pela saúde. “Ninguém fala nada, tá todo um silêncio, mas no Hospital Regional, principalmente, que é administração do governo do Estado, constata-se um verdadeiro descaso no atendimento a saúde. Pessoas que têm cirurgias marcadas há quatro, cinco, seis meses, não é dada uma resposta. Tem gente morrendo na fila de espera, não tem uma solução para isso”, denunciou Ivete Bastos. “Todas as políticas de responsabilidade do governo do Estado estão um verdadeiro abandono, seja na agricultura, nas estradas e na educação. São várias as atribuições do governo Estadual em verdadeiro descaso”, criticou a Vereadora do PT. “A angústia maior é saber do posicionamento agora oficial, do Governador ser contra a criação do estado do Tapajós. Estamos lutando em favor do novo Estado, porque temos necessidade, estamos abandonados pelo governo Estadual”, desabafou Ivete Bastos.
Pesquisa mentirosa – O vereador Gerlande Corrêa Castro (PSD), na Tribuna, afirmou que a pesquisa do Datafolha que aponta favorabilidade ao não no plebiscito de 11 de dezembro é mentirosa, irresponsável e egoísta. “Essa pesquisa desvaloriza a população do estado do Pará, de Belém, do Oeste, como se o povo não tivesse consciência. Não existe uma lógica se ter hoje uma porcentagem tão alta em favor do não, se a população do Pará já percebeu que o importante hoje é dividir o Estado, para o crescimento de todos. A população só tem a ganhar. Eu não acredito nessa pesquisa ridícula, mentirosa, por isso o meu repúdio a essa pesquisa”, afirmou Gerlande Castro.
Fonte: RG 15/O Impacto e JB Colares

Nenhum comentário:

Postar um comentário