9 de fevereiro de 2012

Polícia prende acusados no linchamento de Curuai


Delegado Luís Paixão comanda operação na Vila de Curuai

Delegado Luís Paixão
Uma equipe composta pela Polícia Civil, Grupo Tático Operacional e Serviço de Inteligência da Polícia, sob o comando do delegado Luís paixão, está cumprindo 7 mandados de Prisão Temporária, de 30 dias, na Vila de Curuai, região do Lago Grande, no município de Santarém. Os Mandados de Prisão Temporária foram expedidos pelo juiz Gerson Marra. Até às 22 horas de ontem, quarta-feira, a Polícia já havia prendido quatro pessoas envolvidas diretamente no linchamento do jovem João Augusto, que foi assassinado com requintes de crueldade, após ser retirado de dentro do Posto de Saúde da Vila Curuai. A Polícia continua à procura dos outros três envolvidos no linchamento. Os quatro presos foram lavados para dentro da embarcação da Polícia e devem chegar a Santarém por volta das  08 horas da manha desta quinta-feira.
O delegado Nelson Silva, diretor da Seccional de Polícia Civil, informou que as buscas continuarão e o prisão temporária deverá ser convertida em prisão preventiva, devido a comprovação dos envolvidos no linchamento.
Fonte: RG 15/O Impacto

Um comentário:

  1. Não sei se parabenizo ou se me decepciono com tal atitude da polícia. É de se estranhar que no meio de uma multidão, onde a maioria dos que ali estavam clamavam por justiça, e, até mesmos aqueles que não bateram fisicamente no assassino de Rosivan Silva de Sousa, mas se ali estavam, com certeza, no fundo de suas almas também queriam justiça e...somente quatro (4) foram presos, sendo três (3) da mesma família, será por que são parentes do falecido Rosivan? Ou por uma questão cultural? No passado, três dos acusados e presos tiveram um irmão assassinado com requinte de crueldade (morto a pauladas, arrancado a pele do rosto, retirados todos os órgãos, inclusive genitais, e colocado capim dentro de sua barriga, e, por fim, o corpo foi jogado do rio), e até hoje este crime continua impune. A família de Tica, Zé Bucho e Dominguinhos também esperam por justiça.

    ResponderExcluir