23 de março de 2012

Transposição do Rio São Francisco: de um lado, alto custo aos cofres públicos e violento impacto ambiental. No outro lado: contratos bilionários para as empreiteiras

O plano básico do Projeto de Transposição do Rio São Francisco é construir dois imensos canais ligando o Rio São Francisco a bacias hidrográficas menores do Nordeste.

Foto: padrejoao.com.br
O governo federal defendeu que o projeto é a solução para o grave problema da seca no Nordeste, pois irá distribuir água a 390 municípios dos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte, beneficiando cerca de 12 milhões de nordestinos.

A ideia de fazer a transposição é fortemente criticada por ambientalistas e representantes de outros setores da sociedade por diversos motivos. Porém, o governo fecha os olhos a essas evidencias diante da magnitude dos contratos e interesses envolvidos. Agora, já sabemos o custo altíssimo dessa obra aos cofres públicos, de forma que, como sempre, a conta dos ganhos das empreiteiras nas grandes obras que envolvem recursos ambientais cai na conta de toda a nação brasileira.

Argumentos do Governo:
·        O projeto resolveria os problemas sociais existentes na região semiárida do Brasil;
·        A transposição pretende levar água a regiões massacradas pela seca.
·        12 milhões de pessoas serão beneficiadas e a irrigação de polos agrícolas aquecerá a economia e aumentará o número de empregos
·        As margens do rio São Francisco serão revitalizadas e o tratamento de água diminuirá a poluição.
Argumentos dos que são contra a obra:
·        O Nordeste Seco abrange um espaço fisiográfico socioambiental da ordem de 750.000 km2, enquanto que a área que receberá benefícios abrange dois projetos lineares que somam apenas alguns milhares de quilômetros.
·        Deve ser mantido um equilíbrio entre as águas que seriam obrigatórias para as importantíssimas hidrelétricas já implantadas no médio/baixo vale do rio, pois a energia ali produzida, e transmitida para todo o Nordeste, constitui um tipo de planejamento da mais alta relevância para o espaço total da região.
·        As pessoas que moram na vazante do rio são os responsáveis pelo abastecimento das feiras do sertão, pois fazem horticultura no leito dos rios que perdem fluxo durante o ano, serão os primeiros a serem prejudicados
·        O projeto causaria danos à fauna e à flora da região.

Referencias: http://professorgadomski.blogspot.com.br/2012/02/transposicao-do-rio-sao-francisco.html

Um comentário:

  1. não sei se sou muito boba mas não entendi nada ,desculpem-me

    ResponderExcluir