20 de maio de 2012

Caravana Pro Paz inicia atendimentos em Prainha


A Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva iniciou na manhã deste domingo, 20, os atendimentos à população do município de Prainha, no oeste paraense. Logo cedo, os locais onde estão sendo ofertados os mais de 50 serviços da ação ficaram lotados. No trapiche, onde está ancorada a balsa com as unidades móveis, estão concentrados os serviços de saúde.
Moradora da comunidade de São Joaquim, a cerca de duas horas de barco da sede do município, Edilanise Ferreira dos Santos, 26 anos, levou as duas filhas, Euda Vitória, de 5 anos, e Emilly, de um ano, para se consultar na caravana. “É muito difícil conseguir um atendimento especializado como este. Já estava há algum tempo atrás de um pediatra, principalmente para atender a minhha mais velha, que está com dor de ouvido”, disse Edilanise. 
O oleiro Nilson Andrade, de 40 anos, aproveitou o serviço de Odontologia. “Faz muito tempo que não cuido dos meus dentes. Já nem lembro a última vez que tinha ido no dentista. Estava precisando desse atendimento porque estou perdendo meus dentes”, afirmou Nilson, após deixar o consultório, onde fez três restaurações.
São disponibilizadas diariamente mais de 1.400 fichas para consultas médicas nas unidades móveis da caravana, sendo 350 para Clínica Geral, 450 para Oftalmologia, 200 para Pediatria, outras 200 para Ginecologia, 130 para Cardiologia e 90 para Odontologia. A Caravana Pro Paz prossegue com os atendimentos em Prainha até a terça-feira, 22.
Apoio do Lacen garante exames preventivos
A dona de casa Edivalda Santos Moraes, de 28 anos, procurou a Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva, neste domingo, 20, para realizar o Exame do Câncer de Colo de Útero (PCCU). “Desde o nascimento do meu filho que não estou me sentido bem, com inflamação e hemorragia. Já fiz alguns exames, mas o médico daqui me encaminhou para outro e também já receitou alguns remédios”, relatou.
Edvalda estava acompanhada pelo marido, o pescador João Moura dos Santos, 40 anos, e pelo filho de apenas três meses, Guttemberg, que aguardaram todos os processos até a realização do exame de Edivalda, desde a triagem a até a consulta ginecológica.  Graças ao serviço de farmácia, que integra a ação, ela aguardava para sair do local já com o exame e com os remédios receitados pelo médico da caravana.
Aos 49 anos, o lavrador Corestino Caldeira realizou pela primeira vez o exame de próstata (PSA). “Sei que é necessário, por isso eu vim quando soube que estavam fazendo aqui”, afirmou o trabalhador, enquanto coletava sangue para o exame. Assim como Edivalda, Corestino aguardou o resultado do seu teste, que também foi entregue neste domingo.
O PCCU e o PSA são alguns dos exames disponibilizados pelo Laboratório Central do Pará (Lacen), que acompanha a caravana por todos os municípios da Região de Integração do Baixo Amazonas. Além destes, o Lacen também disponibiliza outros exames,  como o perfil bioquímico, através de encaminhamento do médico, testes para hepatite B e C, HIV, Sífilis, Malária e Leishmaniose.
Agência Pará de Noticias

Nenhum comentário:

Postar um comentário