14 de julho de 2012

POR QUE QUERO SER PREFEITO DE SANTARÉM?


O IMPACTO procurou os 5 candidatos e fez a todos uma só pergunta
Passada a definição das candidaturas à prefeitura de Santarém, é hora do eleitor conhecer as propostas dos candidatos. O jornal O IMPACTO, procurou os 5 candidatos, e fez a todos uma só pergunta, em tom de reflexão a cada um: Por que eu quero ser prefeito de Santarém? Confira as propostas dos candidatos:
Alexandre Von
Alexandre Von: Quero ser Prefeito, primeiro, para promover um choque de gestão que permita reduzir o tamanho de uma máquina pública municipal inchada, lenta e ineficiente que temos hoje. Para isso, precisamos reduzir consideravelmente o número de secretarias e coordenadorias, reduzir o número de cargos comissionados, assegurar o acesso aos cargos mediante concurso público, capacitar e valorizar os servidores municipais, qualificar os serviços públicos, combater implacavelmente os desperdícios e os desvios de recursos públicos, implantar uma gestão por metas e resultados, enfim, eficientizar a gestão pública local e prepará-la para enfrentarmos os grandes desafios que temos em nossa sociedade.
Em seguida, quero ser prefeito de Santarém para promover uma gestão pública municipal capaz de debater com a sociedade e implementar propostas novas e modernas que atendam, de verdade, os legítimos interesses de nossa população, a partir de cinco eixos estratégicos:
1. Modernização da Gestão Pública. Aqui, queremos destacar o compromisso de integrar o município de Santarém ao Programa Cidades Sustentáveis (www.cidadessustentaveis.org.br), objetivando assegurar maior transparência e garantir práticas sustentáveis na gestão.
2. Desenvolvimento Local Sustentável. Nesse tema, proporemos políticas públicas e construiremos parcerias com o setor privado e com a sociedade visando promover uma economia forte a partir do uso sustentável e da conservação dos seus recursos naturais.
3. Mobilidade e Desenvolvimento Urbano. Os desafios aqui são gigantescos. Precisamos reconstruir o sistema viário urbano e rural, modernizar o transporte, humanizar o trânsito e, ainda, avançar nos investimentos em saneamento básico e habitação de interesse social.
4. Proteção Social. Aqui, o grande desafio será o de ampliar, modernizar e melhorar a qualidade dos serviços na área de saúde pública e da assistência social.
5. Promoção Social. Nesse tema, o desafio será de proporcionar políticas e iniciativas que ampliem as oportunidades de avanço social pelas vias da educação pública de qualidade, da cultura e do esporte e lazer em benefício da nossa população.
Lucineide Pinheiro
Lucineide Pinheiro: Sou candidata porque a mudança, que chegou para melhorar a vida das pessoas em Santarém, tem que continuar. Para avançarmos ainda mais, nossa linda cidade precisa eleger alguém que esteja em sintonia com as mudanças que experimentamos nos últimos sete anos e que tenha diálogo aberto com o governo federal.
Através de um amplo debate, o meu partido e os partidos que compõem a nossa coligação optaram pelo meu nome e aceitei, porque sou uma mulher que, por toda a vida, superei os desafios que foram colocados diante de mim.
Sou uma mulher de fé. Acredito em Deus, nas pessoas e na força do trabalho. E penso que, se Deus colocou agora, diante de mim, esta oportunidade, é para eu abraçá-la.
Desde muito jovem sou militante de movimentos sociais, da Igreja e do Partido dos Trabalhadores. Mas minha maior experiência, e da qual eu mais me orgulho, é como educadora. Sou pedagoga e Mestre em Educação. Ensinar e aprender com a vida é a minha missão. Fui professora do ensino médio, vice-gestora de escola, professora da UFPA e hoje da UFOPA.
Minha experiência profissional e meu envolvimento social me creditaram junto a prefeita Maria do Carmo a assumir a Secretaria de Educação e Desporto do Município.
De janeiro de 2005 a abril de 2012, me dediquei a fazer de Santarém uma cidade educadora. Uma cidade onde nenhuma criança ficasse sem o direito de estudar, onde nenhum aluno precisasse aprender a ler sem carteira para sentar, onde nenhuma criança ficasse com fome na escola, onde a experiência escolar fosse libertadora, onde o ensino fosse de qualidade e, sobretudo, onde as crianças conquistassem cidadania.
Administrei projetos inovadores que permitiram ao governo municipal construir escolas na cidade e no campo, garantir merenda escolar regular, distribuir uniformes, garantir transporte para alunos da zona rural, aulas de arte e de esporte, laboratórios de informática, duas escolas exclusivas para educação ambiental. Tudo com a mais completa lisura na gestão do dinheiro público. Tanto que ganhamos mais de dez prêmios a nível nacional e regional. Dentre eles, o prêmio nacional de referência em gestão escolar (Escola Ubaldo Corrêa) da Unesco e parceiros; o prêmio nacional de inovação em gestão educacional do MEC e o prêmio gestão Nota 10 do Instituto Ayrton Senna.
Acompanhei de perto a transformação desta cidade, que saiu do isolamento e do retrocesso para um tempo de mudança e de conquistas sociais. Acompanhei de perto, também, o nosso sonho de independência. Tenho orgulho de fazer parte de um governo que marca a história desta cidade como o governo que mais promoveu desenvolvimento por aqui e me orgulho, também, de ser parte de um povo que luta por seus sonhos.
Precisamos resgatar o sonho de criação do Estado do Tapajós. Sonho que foi adiado pela intervenção do governo do Estado na pessoa do governador Jatene, o mesmo que quer mudar os rumos do nosso município. Mas nosso povo é valente e inteligente, vai dizer NÃO ao Governador.
Com apoio de Maria do Carmo, a Prefeita que mais investiu no social em Santarém, e acreditando na força do povo desta cidade, sei que ainda vamos avançar muito mais em desenvolvimento, educação e qualidade de vida. Acredito neste projeto de mudança e de justiça social que começou a acontecer em 2005 e que não pode parar. Santarém não merece retroceder. Por isso, aceitei o convite do meu partido para seguir em frente nesta luta. Eu do PT e o Bruno do PDT, juntos com companheiros do PR, PPL, PP, PRB, PTB, PTN, PCdoB, PTdoB, PRTB e PRP estamos nesta disputa para dizer mais uma vez SIM a Santarém e a nossa gente. Este é o motivo de nossa candidatura. Vamos trabalhar para seguir inovando, mudando esta cidade que tanto amamos.
Rubson Santana
Rubson Santana: Posso dizer que nós brasileiros somos sempre compelidos a assumir desafios, uns mais do que outros…, talvez tudo isto tenha começado com os portugueses na busca da expansão do seu domínio, depois os negros africanos tentando sobreviver ao massacre da escravidão e depois os índios, cujo desafio é não serem extintos…
Mas, os leitores poderão estar se perguntando: o que isto tem haver com o tema? Posso dizer-lhes que tudo, esta é a proposta que assumo o desafio de fazer gestão para um povo que precisa orgulhar-se de ser santareno, que não aceita mais os desmandos e os descasos na administração pública, que quer menos política, mais profissionalismo e que o interesse individual ou de grupos não se sobreponha ao interesse popular.
Temos que trabalhar fortemente na geração de emprego e renda dando fim a indústria da miséria que deixa o povo pobre para aproveitarem-se dessa fraqueza nas eleições. O que me credencia é a confiança do meu partido PSC – Partido Social Cristão e do PTC – Partido Trabalhista Cristão, e os 30 anos de banco, dos quais 21 anos de gerenciamento de Instituição Federal, formação em Direito e Contabilidade que estarão a serviço do Município quando eleito.
José Maria Tapajós
José Maria Tapajós: Trabalhar em prol dos anseios da população é tudo o que um munípice espera de um gestor. Tudo o que não pude fazer até pela limitação da competência de um Vereador, sei que posso fazer muito mais. Quando estive Prefeito em 2009, tive a certeza de que isso é possível sim, mesmo enfrentando um período dos mais difíceis para uma administração. Inverno com muita chuva e enchente grande a ponto de colocar o centro comercial e alguns bairros submersos.
Entendo que só com um governo acessível à população, nossa cidade terá as suas reivindicações de todas as áreas atendidas.
Como Prefeito, pretendo ouvir os setores que formam nossa sociedade e que movimentam a nossa economia, desde o produtor de farinha aos grandes empresários de Santarém. Tenho convicção de que um Prefeito não é eleito para mandar, mas sim para, com autoridade, servir as pessoas do seu Município. Estou na política para servir a coletividade, porque acredito no poder das idéias, da vontade, do trabalho e da competência. Pretendo seguir minha vida política, no compromisso com uma gestão voltada para o bem de todos. Não uma administração pautada em interesses partidários, que imponha a separação.
Quero promover o desenvolvimento sustentável para a nossa cidade, com obras de infra-estrutura na cidade e interior, melhor atendimento principalmente nas áreas de saúde, educação, trânsito, moradia, e estímulo aos investimentos que resultem na criação de trabalho e renda.
Na minha experiência ao longo de 24 anos como Vereador, até por estar mais próximo do povo, ouço diariamente que a população tem muita dificuldade para levar suas demandas à Prefeitura, porque o caminho é sempre muito burocrático.
Quero resgatar a credibilidade da gestão pública, junto à população, para isso é necessário montar ações descentralizadas, chegando o mais perto possível da população para ouvir as suas demandas. “Isso sim, é o povo no poder!”-
Márcio Pinto
Márcio Pinto: Sou candidato porque, como educador, vejo esse momento como importante à construção de uma consciência cidadã, que não só reivindique a “Ficha Limpa”, mas que consiga transformar essa intenção em gesto na hora de depositar o voto na urna.
Sou candidato para dizer às famílias do campo que as sedes esportivas (que durante as eleições recebem de politiqueiros jogos de camisa, bolas ou reformas) estão na esfera do lazer e que é equivocado priorizar o lazer em detrimento da saúde.
Sou candidato para mostrar que saúde nunca foi prioridade, porque é muito bom que a população continue precisando de “bilhetinhos” para ter acesso a leitos, remédios ou consultas, assim os currais eleitorais são garantidos para a próxima eleição.
Sou candidato para informar que parte da nossa geração de renda está relacionada à infraestrutura. Basta colocar o asfalto nas ruas que nossas famílias logo se tornam microempreendedoras e inauguram açougues, salões de beleza, farmácias, pizzarias.
Sou candidato para dizer às pessoas de bem que não podemos aceitar o discurso oficial de que política é assim mesmo. Isso só fortalece os corruptos. É um erro permitir que a “velha política” se perpetue em nosso meio sem encontrar resistência.
Sou candidato para enfrentar àqueles que tratam a coisa pública como se fosse extensão de seus quintais.
Sou candidato porque sei que o papel do Prefeito é político. Conhecimento técnico deve ter o secretariado e isso para mim é solução e não problema, ao contrário de alguns opositores que já fatiaram politicamente a maioria das secretarias.
Finalmente, sou candidato a Prefeito por me sentir preparado. Estou há 14 anos na Administração e não cheguei a ela por troca de favores, mas por concurso. Conheço muito bem sua estrutura e suas mazelas. Sei, por exemplo, que quem de fato resolve os problemas da população não é o Prefeito, mas o servidor público que faz a coisa acontecer mesmo sem o devido reconhecimento. Abraço fraterno, Márcio Pinto.

FONTE: O IMPACTO

Nenhum comentário:

Postar um comentário