3 de agosto de 2012

Acadêmicas de medicina são coagidas na prefeitura



O prefeito de Monte Alegre, Jardel Vasconcelos, mais uma vez volta a ser alvo de notícia negativa na mídia da região. Agora ele está sendo acusado pela médica Ilmara Sousa e por duas acadêmicas do curso de Medicina, da Universidade do Estado do Pará (UEPA), de coação e constrangimento.
Fatos:na terça-feira, dia 31 de julho, as duas acadêmicas de Medicina foram ao município de Monte Alegre e se dirigiram à Prefeitura, para que fosse mantido o convênio assinado entre a Universidade a Prefeitura de Monte Alegre, para que se realizasse estágio no Hospital daquele Município, porém, para decepção das futuras médicas, o prefeito Jardel Vasconcelos simplesmente não deu a mínima para as estudantes. Como as acadêmicas insistiram, o Prefeito levou as duas acadêmicas para seu gabinete e, na companhia de um assessor jurídico, disse que poderia até deixar as duas estudantes de medicina estagiarem no Hospital Municipal, mas que elas teriam que assinar um documento se comprometendo em trabalhar no Município pelo período de um ano. As duas acadêmicas ficaram injuriadas com a coação feita pelo Prefeito e seu assessor e decidiram voltar para Santarém.
As acadêmicas registraram BO na Delegacia contra Prefeito e assessor
Reação em Santarém: A coordenadora do Curso de internato de Medicina da UEPA, médica cardiologista Ilmara Sousa, decidiu denunciar a falta de respeito e postura de Jardel Vasconcelos, que não cumpriu com o que foi acordado em um Convênio, bem como destratou as acadêmicas. Na ocasião, Dra. Ilmara falou que a atitude tomada pelo prefeito Jardel Vasconcelos demonstra que a atual administração pública de Monte Alegre pouco caso faz com a saúde da população. “Elas foram pessimamente recebidas pelo Prefeito. Elas deveriam começar o internato rural na quarta-feira, que faz parte de um dos módulos do curso de Medicina. Mas o que aconteceu foi uma aberração. Esse Prefeito foi grosseiro com as alunas, na chegada delas a Monte Alegre não sabia nem para onde levá-las. E quando chegaram ao hotel, ele e seu assessor levaram as acadêmicas para o seu gabinete, na Prefeitura e, lá coagiram as estudantes. Nós temos convênios firmados com várias prefeituras, para estágio. Na ocasião, o Prefeito falou que não sabia de nenhum Convênio e propôs duas opções: Não tinha interesse em ter estágio de Medicina com a UEPA e que aturaria as acadêmicas por dois meses, ou então que assinassem um novo contrato constando em uma das cláusulas que elas trabalhariam por um ano no Município, após formadas. Isso é ilegal, pois o contrato tem que ser feito diretamente com a UEPA. Além disso, o médico é um profissional liberal e tem o direito de trabalhar onde quiser”, disse Dra. Ilmara Sousa.
“Estamos em contato com a assessoria jurídica da UEPA que deverá entrar com um processo contra esse Prefeito, bem como as acadêmicas irão realizar um BO contra o mesmo, por coação e constrangimento, pois elas são alunas extremamente competentes. Esse Prefeito não tem compromisso com a saúde, não tem visão de futuro e nem como gestor. Pelo visto a saúde pública está abandonada naquele Município”, declarou a médica cardiologista.
Saúde precária: A acadêmica Nayarah Castro, bastante magoada, disse que quem perde com isso é a própria população, já que após formada tem pretensões de trabalhar em Santarém ou em outra cidade do Oeste do Pará. Ela disse que só tem a lamentar com a atitude tomada pelo prefeito Jardel Vasconcelos e seu assessor. “Eu acreditava que poderia contribuir na saúde daquele Município. Esse Prefeito está proibindo a gente de exercer nosso direito. Quando nós chegamos em Monte Alegre, ele não nos recebeu, mandou outra pessoa. Ele tratou a gente como não fôssemos nada. Infelizmente eu lamento pela população de Monte Alegre, pela atitude de seu Prefeito”, disse Nayarah Castro.
Por: Carlos Cruz

Nenhum comentário:

Postar um comentário