9 de novembro de 2012

Polícia prende assassinos do casal de Alter do Chão


Seis pessoas foram presas, sendo três menores, acusadas na morte de Jéssica e Mauro


A Polícia Civil desvendou por volta das 22 horas desta quinta-feira, dia 08, o crime que abalou Santarém, mais precisamente quem freqüenta e mora na vila balneária de Alter do Chão, a morte do casal Jéssica Gomes Campos, de 18 anos e Mauro Luís Borges dos Santos, de 30 anos, que foram assassinados na “Ilha do Amor”, no dia 21 de outubro. Os corpos do casal foram encontrados com perfurações de facas, na trilha da Serra Piroca. Ela estava despida e ele vestido. Os corpos já apresentavam sinais de decomposição quando foram encontrados três dias depois de serem assassinados.

Fatos: Jéssica Gomes Campos e Mauro Luís Borges dos Santos desapareceram no domingo (21), após fazerem uma visita à vila balneária de Alter do Chão e deveriam ter voltado no mesmo dia. A jovem que estava na cidade e depois seguiria para Manaus, ficou hospedada na casa de Mauro, que mora com parentes. No domingo ela teria pedido a Mauro para conhecer Alter do Chão. Os dois chegaram de moto na comunidade ainda pela manhã e não retornaram mais para casa. A família perdeu o contato e decidiu tomar providências: “Passou a madrugada toda, quando foi pela manhã de segunda-feira foi que a gente suspeitou. Eu tentei ligar e deu fora de área o celular dos dois”, disse a prima de Mauro, Luiza Borges. Em busca de informações, a família procurou os dois pelos hospitais da cidade, mas nenhuma pista. Em seguida registraram Boletim de Ocorrência na Seccional de Polícia Civil. A Polícia encontrou a motocicleta em que eles estavam, por volta de 13h30 de segunda-feira (22) na Praça em frente à vila de Alter do Chão. Segundo o escrivão Arlei Silva, a moto possivelmente foi abandonada no local, pois o veículo foi encontrado com os capacetes e sem a trava. “A pessoa que deixou a moto, não tem o perfil do proprietário (…). Algum fato aconteceu no intervalo das três e quinze às três e meia, ou seja, um intervalo de quinze minutos aconteceu o desaparecimento”, completou o policial civil.
No início da tarde de terça-feira os corpos foram localizados pela equipe composta por policiais militares, civis e Corpo de Bombeiros. Segundo informações de familiares, Mauro era estudante do último ano do curso de Administração de Empresas, no Instituto Esperança de Ensino Superior, bem como era funcionário do Sest/Senat.  Seu corpo foi velado na igreja de Nossa Senhora Aparecida em Santarém e depois foi transladado para o município de Prainha, onde foi sepultado.  O corpo da jovem Jéssica foi levado para o município de Laranjal do Jari (AP), onde foi sepultado. 
A Polícia estava trabalhando com várias hipóteses, uma delas é de crime passional, uma vez que há informação de que Jéssica teria envolvimento com um jovem que ela conhecia em Santarém. A outra hipótese é de crime por oportunidade, sendo que pessoas podem ter seguido o casal até a Serra Piroca com a intenção de abusar sexualmente dela. A outra possibilidade é de que já havia pessoas naquele local e aproveitaram para cometer o crime. “Todas essas possibilidades estavam sendo investigadas”, disse o delegado Nelson Silva, diretor da Seccional.
Prisão dos assassinos: Após minucioso trabalho da Polícia Civil, sob o comando do superintendente Gilberto Aguiar; do diretor da Seccional, delegado Nelson Silva; delegados e investigadores, chegou-se à prisão dos envolvidos no crime. Seis pessoas se encontram neste momento na Seccional de Polícia Civil de Santarém, acusadas da morte do casal, sendo três menores. Luís Carlos Santos Silva “Panga”, Manoel José Silva dos Anjos “Neneu” e Luan Rafael Medeiros Fernandes “Beiçola”. Os outros três envolvidos no crime são menores de idade. Em contato com exclusividade à nossa reportagem, tanto o superintendente Gilberto Aguiar quanto o diretor da Seccional, Nelson Silva, informaram que cinco dos acusados já confessaram o crime, sendo que um dos menores apreendidos deverá ser liberado, haja vista que não foi encontrada nenhuma prova que o incriminasse. Porém, todos eles ainda serão ouvidos em depoimento por toda a noite e  somente na manhã desta sexta-feira é que a Polícia reunirá a imprensa, para falar sobre o desvendamento do crime e apresentar os assassinos confessos. O superintendente Gilberto Aguiar informou que todos os acusados são moradores de Alter do Chão. Há informações de que alguns deles participaram no assalto na residência do médico Júlio César Imbiriba de Castro, também em Alter do Chão, sendo que a empregada da casa foi estuprada.  
É de se elogiar o trabalho realizado pela Polícia Civil, que montou várias equipes para investigar esse crime que chocou a sociedade local.
Fonte: RG\O Impacto

Nenhum comentário:

Postar um comentário