17 de novembro de 2014

Santarém ganha em dezembro o Centro Municipal de Informação e Educação Ambiental (CIAM)



O Município de Santarém vai ganhar na primeira quinzena deste mês o Centro Municipal de Informação e Educação Ambiental (CIAM). O prefeito Alexandre Von, acompanhado do secretário municipal de Meio Ambiente, Podalyro Neto, visitou as instalações do prédio, que funcionará na Avenida Adriano Pimentel e passa por reforma. O CIAM é um órgão vinculado à SEMMA e visa fortalecer a política ambiental do Município. O projeto de reforma e aparelhamento tecnológico do espaço são de responsabilidade da empresa Cargill Agrícola S/A, como parte do Plano de Medidas Compensatórias do EIA/RIMA da empresa.

 Depois de pronto, o CIAM será um espaço para organizar indicadores ambientais, elaborar o zoneamento ecológico econômico do Município, desenvolver a educação ambiental, fortalecer os instrumentos de planejamento ambiental, além de realizar a gestão do Cadastro Ambiental Rural (CAR), executar o monitoramento e controle do desmatamento e promover a integração do Sistema Integrado de Monitoramento e Licenciamento Ambiental (SIMLAM).
 O CIAM comportará, entre outras estruturas, um auditório de 90 lugares, sala de reunião do Conselho Municipal de Meio Ambiente, sala de treinamento e centro do sensoriamento remoto - o setor de geoprocessamento da SEMMA.
 “No CIAM nós teremos a base da Divisão de Planejamento e Educação Ambiental. O espaço servirá, também, para a capacitação, treinamento e a divulgação da informação ambiental para a sociedade”, explica o titular da SEMMA, Podalyro Neto.
 Base Cartográfica
 No início da tarde, durante reunião na Prefeitura, com a participação do prefeito Alexandre Von, o titular da SEMMA, Podalyro Neto, a empresa Cargill e representantes dos Municípios de Mojuí dos Campos e Belterra, a organização internacional sem fins lucrativos The Nature Conservancy (TNC), parceira de Santarém dentro do Programa Municípios Verdes e na reforma do prédio, anunciou que entregará ainda neste mês toda a base cartográfica do Município e vários equipamentos para ajudar o processo de gestão ambiental.
 “Só para termos uma ideia, a base cartográfica permite que visualizemos com mais propriedade aspectos físicos do Município como hidrografia, ramais, estradas, enfim. Isso ajuda não só a parte do planejamento ambiental, mas no planejamento geral da administração municipal, que envolve infraestrutura, escoamento agrícola, planejamento que ajuda a apontar em que áreas pode-se construir escolas, postos de saúde, etc. Nós estamos recebendo esse instrumento a custo zero”, observa Podalyro Neto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário