16 de outubro de 2012

Justiça de Minas condena Genoino e Delúbio por falsidade ideológica

Segundo a Juíza, houve fraude nos empréstimos do BMG a SMP&B e ao PT

Quadrilha do mensalão
A juíza Camila Franco e Silva Velano, da Justiça Federal de Minas Gerais, condenou na segunda-feira o ex-presidente do PT, José Genoino, o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares e o publicitário Marcos Valério por falsidade ideológica, que também são réus no processo do mensalão julgado no Supremo Tribunal Federal (STF). Genoino e Delúbio foram condenados a quatro anos de prisão, enquanto Valério, a quatro anos e meio. De acordo com a juíza, houve fraude nos empréstimos entre o BMG, a empresa SMP&B, de Marcos Valério, e o Partido dos Trabalhadores, realizados em 2005.
Também foram condenados por falsidade ideológica, Ramon Hollerbach Cardoso, Cristiano de Mello Paz, ex-sócios de Valério, e o advogado Rogério Lanza Tolentino. Já os diretores do BMG Ricardo Annes Guimarães, João Batista de Abreu, Márcio Alaôr de Araújo e Flávio Pentagna Guimarães foram condenados por gestão fraudulenta de instituição financeira, com penas de até 7 anos de prisão.
Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a liberação de recursos milionários pelo BMG ao Partido dos Trabalhadores e às empresas ligadas ao publicitário Marcos Valério se deu de maneira irregular, porque a situação econômico-financeira dos tomadores era incompatível com o valor emprestado e as garantias, insuficientes. Tampouco foram observadas, nos contratos de financiamentos, as normas impostas pelo Banco Central ou até mesmo as normas internas do próprio BMG.
A juíza Camila Franco e Silva Velano, que proferiu a sentença na véspera de entrar de férias, pediu para que o ministro do STF Joaquim Barbosa, relator do mensalão, seja comunicado da decisão.
Fonte: O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário