25 de fevereiro de 2012

Cametá perde, mas levanta a taça do 1º turno


Por Gerson Nogueira
O Cametá perdeu por 3 a 1 para o Águia, mas conquistou o primeiro turno do Parazão, na tarde deste sábado, em Marabá. O resultado garante o Cametá na Copa do Brasil 2013 e grandes chances de ficar com única vaga paraense na Série D. Por tabela, deixa o Remo em situação delicada, pois será obrigado a ganhar o returno e o próprio estadual para assegurar um lugar na Quarta Divisão.
Foi uma das melhores partidas do campeonato, digna de uma decisão. O Águia impôs um ritmo forte desde a saída de bola e teve a felicidade de abrir o placar logo aos 2 minutos de jogo, através do zagueiro Charles. O gol empolgou os donos da casa, que precisavam vencer por três de diferença para ficar com o título desta etapa. Começava ali o festival de chances desperdiçadas pelos atacantes do Azulão, principalmente Branco e Valdanes. O Cametá, que entrou com Jailson e Paty no ataque, se mostrava exageradamente defensivo, assustado com o rolo compressor montado por João Galvão.
Apesar da pressão do Águia, o Cametá aos poucos foi se aprumando e melhorando a produção defensiva, contando com o recuo do volante Ricardo Capanema para auxiliar a zaga. Quase ao final do primeiro tempo, Analdo disparou um chute forte de longa distância e a bola explodiu no travessão, caindo dentro do gol cametaense. O árbitro Clauber Miranda consultou seus auxiliares e não validou o gol.
No intervalo, João Galvão lançou o atacante Vando, aumentando seu poderio ofensivo, a fim de buscar os gols necessários para vencer o turno. Logo no começo, em triangulação pelo lado direito, a bola se apresentou para Flamel, que disparou no canto de Evandro, aos 8 minutos. A vantagem de 2 a 0 ainda era insuficiente, mas serviu para incendiar a torcida no estádio Zinho Oliveira. O terceiro gol viria aos 23 minutos. Aproveitando a instabilidade da zaga do Cametá, Vando entrou na área e tocou com categoria para as redes, estabelecendo 3 a 0 no placar. O resultado igualava a disputa em 4 a 4 beneficiando o Águia.
Flamel e Valdanes tiveram novas oportunidades de ampliar, mas erraram nas finalizações. Extenuado pelo esforço empregado para reverter a desvantagem, o Águia afrouxou a marcação no meio-de-campo e o Cametá melhou no jogo, ensaiando seus primeiros ataques. Marcelo Maciel já estava em campo e caía pelas extremas, abrindo espaço para o Rafael Paty pelo centro. O goleiro Alan impediu dois gols cametaenses, mas, aos 30 minutos a casa caiu. Ratinho, que tinha desempenho apagado, arrancou de seu campo, driblou quatro marcadores e disparou um chute indefensável no canto direito de Alan. Um golaço que deixou o placar em 3 a 1.
O gol calou a torcida marabaense e deu ao Cametá ânimo redobrado para enfrentar a desesperada pressão do Águia nos minutos finais. E o quarto gol esteve para acontecer em dois momentos. No primeiro, houve um chute forte de Rairo, que Evandro defendeu bem. No segundo, Vando disparou chute no pé da trave com o goleiro inteiramente batido. Ratinho levou o segundo cartão amarelo e foi expulso, mas o Águia não teve nervos e fôlego para conseguir o quarto gol. Controlando a bola em seu campo de ataque, o Cametá manteve o adversário sob controle e sustentou o placar até o final. Jogo desigual, mas conquista merecida. (Fotos: MÁRIO QUADROS/Bola)

Um comentário:

  1. O QUE É PIOR? MORRER NA PRAIA NA SERIE C?
    "OU NÃO CONSEGUIR NEM A VAGA PRA SERIE D ?"
    Hahahahaha!!!!! uma pedra no sapato da Leoa!! (Remo) Dá-lhe Cametá!!!!

    ResponderExcluir